Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Party time!!!

02.09.12publicado por Gato Pardo

 

Hoje foi o Dia D.

Dia de desbunda...

Visto que o aniversário do felino calhou este ano a meio da semana (e porque não dá jeito nenhum um gato apanhar um cadela (isto fora do contexto soa um bocado a desespero...) em dias laborais), tratou-se de alinhavar o belo do convívio para hoje.

Permitam-me então dar-vos a conhecer a cambada.

7 homens. Um enólogo (não podia faltar, é peça fulcral), dois advogados (ambos representam o diabo e a sua prole), um engenheiro civil, um web designer (expressão cara para descrever um tarado que passa a vida a mandar pornografia para os restantes 6) e um músico (dizem as más línguas que passa mais a vida a dar música às meninas do que a tocar propriamente...). Ah, e eu.

Todos fumadores convictos.

Todos alcoólicos sociais moderados.

Todos malucos da cabeça, porque a bem da verdade, já fomos todos bons rapazes. E não gostámos da experiência.

As pessoas normais combinam uma almoçarada. Os malucos da cabeça aparecem munidos de charcutaria em quantidades industriais, caixas de Cohibas nº1, cigarrilhas, maços de tabaco, garrafas com anos de sabedoria no interior.

Ofereceram-me algo de que me irei lembrar para toda a vida. Um embrulho e um garrafa de fuído para isqueiros. O embrulho continha o livro "Português Suave" da Margarida Rebelo Pinto. A garrafa de fluído para isqueiros continha isso mesmo. Fluído.

O resultado desta invulgar combinação foram 7 gajos a cantar "The book...The book...The book is on fire...We don't even bother, let the motherfucker burn..." enquanto se verificava que aquilo nem para assar chouriço corrente serve. Sim, estes meninos foram cuidadosos o suficiente para comprar um chouriço ranhoso para servir de cobaia. Maluco que é maluco, não é tão maluco ao ponto de desperdiçar charcutaria gourmet em alguma coisa que tenha MRP na capa. Malucos, sim. Parvos, não.

Muita comida, muita bebida, muita coisa que faz mal mas que na companhia certa sabe bem.

Descobri três coisas hoje (das quais já tinha leves suspeitas).

- Que continuo a ser apreciador de charutos. Apesar de que a  imagem de 7 gajos a esfumaçar tranquilamente uma linguiça daquelas enquanto se bebia um whisky velho tem algo de gay. Tentámos analisar ao gayómetro o quão gay seria aquela imagem aos olhos alheios. De 0 a 100, chegámos à conclusão de um 73 bastante sólido. Se fosse realmente uma linguiça em vez de um charuto, a coisa disparava para os 841.

- Daqui por uns anos não serei capaz de doar o meu fígado a uma unidade hospitalar. No entanto, se ouver alguma cave em Gaia interessada, poderá fazer dele um barril decorativo tal a quantidade de substâncias já por ele destiladas em 35 anos.

- Cantamos pessimamente o fado. Sóbrios, somos o caos. Regados, somos os 4 Cavaleiros do Apocalipse e 3 membros honorários. O ponto alto foi 7 homens notoriamente embriagados (qual quê, bêbados que nem uns cachos...) a cantar "Michelle" dos Beatles. Porquê? Não faço ideia. Pareceu boa ideia na altura não nos apetecia cantar Mickael Carreira.

E amanhã vou estar com uma ressaca do tamanho do mundo. Mas é apenas um dia em 365. No biggie...